quinta-feira, 11 de setembro de 2008

O nepotismo sem fim.


O nepotismo está nas manchetes de todos os jornais. Todos estão discutindo a prática, que em princípio é anti-ética. A nova lei contra o nepotismo aprovada pelo STF já entrou em vigor, mas, no momento parece que ninguém sabe ao certo como funciona. A lei deixa claro que pessoas que foram beneficiadas por parentes em qualquer dos três Poderes: Legislativo, Executivo e Judiciário, deverá ser demitida o mais rápido possível. Porém não tem sido bem assim... Senadores e Deputados não entenderam a idéia central expressa na lei e são contrários à sua aplicação imediata, no momento tudo o que fazem é pedir auxílio para saber o que fazer com quem é beneficiado por sua padrinhagem política, coisa simples. Mas se isso é difícil de se entender imagine se o assunto fosse um pouco mais complexo.

Mas eu estou enganado, esse assunto realmente é muito complexo, afinal, para tudo se tem um jeito e o jeito agora é adiar essa decisão o mais rápido possível para que os políticos procurem padrinhos, agora, dentro da política. Sim, procurar aquele político que nunca se pronunciou contra suas atitudes em reunião alguma e saber se talvez ele não esteja interessado em uma troca de favores: empregar aquele seu sobrinho rebelde e em troca você emprega a sua prima que foi deixada pelo marido. Pensem bem, não seria nepotismo empregar o parente de um companheiro político. Foi-se o tempo em que todas as vagas eram preenchidas por concursos, se é que isso já existiu.

O Presidente do Senado Garibaldi Alves parece pelo menos estar dando um bom exemplo. Um Garibaldi a menos na folha de pagamento federal. E ele ainda está dando as devidas instruções para seus companheiros: “Pode ser que alguns estejam querendo apelar para ganhar algum tempo, mas todos sabem que lei é para ser cumprida. Se alguns têm alguma dúvida, é só fazer uma consulta à súmula. Dúvida não é eterna e deve ser tirada muito rapidamente”. Súmula que está à disposição de todos os funcionários federais.

A lei está aí, mas a cultura brasileira se faz presente até na Constituição, quando toda lei tem a sua brecha, essa lei foi aprovada para ser cumprida de imediato, mas...

Jeitinho brasileiro...

2 comentários:

Talles Freitas disse...

o Nepotismo é muito serio cara!
apesar das leis que "aplicaram", que fizeram com que políticos demitissem parentes. Mas o que adiante demitir seus parentes sendo que as lideranças nomeiam seus cabos eleitorais que em muitos casos não possuem as qualificações necessárias?
Esse é o nosso Brasil!!!

Rogério Xis. disse...

Muitas vezes o que acontece, partindo do principio do jeitinho brasileiro, é a falta de competência que certas pessoas nomeadas desempenham. Os parentes são jogados em cargos, não pelo conhecimento ou pela eficiência e sim pelo dinheiro, que o Sr. deputado ou o Sr. Senador morde em forma de porcentagem, "agradecimento". Quem sabe isso um dia acabe, mas a miséria mental que assola essas pessoas é maquiavélica, o poder seduz de forma absurda e patética!