quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Espírito Natalino sob vários ângulos

Estamos prestes a comemorar mais um Natal, data simbólica para o nascimento de Cristo, porém a figura dos natais atuais não tem lá sido Ele, que perde espaço nas comemorações a cada ano que passa. Há algum tempo o Natal deixou sua máscara de lado, o que antes era uma comemoração sadia, hoje deu lugar à exageros: de desperdício, falsidade e oportunismo. No Natal todas as pessoas são livres e irradiam espírito natalino, doam o que podem, o que não podem e são muito amigáveis.


Em Valparaíso, São Paulo, temos um bom exemplo de como é fácil se enganar com essa afirmação. Um presidiário que ganhou o benefício de saída temporária da prisão foi detido novamente em apenas 5 horas e, com o currículo ainda mais recheado. Acusado de roubar um carro, atropelar e matar uma pessoa em Presidente Prudente, só foi parado quando seu carro bateu em um poste. Não é novidade esse tipo de acontecimento, afinal todos sabem que o sistema penitenciário do país é uma piada. Um engano natalino, mas o espírito continua vivo, vamos lá.


No Rio de Janeiro, muitos policiais estão distribuindo brinquedos para crianças carentes no morro e, depois, será realizada uma grande festa para a comemoração Natalina contando com a presença de Tenentes e Sargentos. Não estou condenando essa atitude, que de fato é muito nobre, só tenho minhas dúvidas se é verdadeira a intenção de fazer com que essas crianças se sintam crianças amadas por algum tipo de representação do Estado, já que daqui algum tempo elas deixarão até de ser consideradas como pessoas, sendo taxadas como bandidos, terão a vida em risco. Ria agora, chora depois.

Enquanto isso, na Romênia foi escrita a maior carta do mundo destinada ao Papai Noel. A carta de 384m foi escrita por mais de 2 mil crianças e entre os pedidos não havia nenhum vídeo-game de última geração, tênis, computador e nem brinquedos. Os pedidos eram apelos para que o Papai Noel salve as florestas, oceanos, as pessoas e o planeta. Se eu encontrasse uma dessas no Correios não sei qual seria minha reação. Como a inocência e a pureza dessas crianças são de encher os olhos, não? É confortante ver que pelo menos as crianças se preocupam com o futuro da sua vida no Planeta, pois essas crianças podem não viver na mesma Terra que nós vivemos hoje, assim como não vivemos no mesmo planeta de cem anos atrás. Mas quando adiantou a esperança e fé de quem fica quando comparada com a ganância e a frieza de quem vai?


Nesse Natal podemos tentar trocar nosso maldito Espírito Natalino por consciência, talvez surtisse mais efeito... ainda dá tempo.


Tenham um Feliz Natal e que Jesus se faça presente na mesa de todos!

2 comentários:

Ale Bordon disse...

Esse lance de Natal eh uma questao pra aumenta o giro do comércio mundial..
Aonde as pessoas estao mais preocupadas em gastar para satisfazer os desejos do que propiamente se concientizar com o que realmente importa...

Feliz 2009!

Abraços

Rivaldo R.Ribeiro disse...

Cáspio, eu não sei porque o Natal me deprimi, talvez seja as dificuldades passadas.

Talvez seja o modismo natalino levando aminésia as pessoas esquecendo de Jesus, o verdadeiro aniversariante. E o que Ele ensinou está longe das festas natalinas que vemos hoje...

Talvez seja a obrigação de sermos felizes nesta época, e isso eu não consigo, ai vem a culpa. Porque não sinto como os outros?

Reclamaram que eu devia cortar a barba, que era Natal. Mas eu imaginei: como Jesus estaria pensando do mundo? Resolvi ser solidário com Ele, não fiz a barba.

Eu pareço um pouco estranho, mas é o que sinto. Porque então falam uma coisa e praticam outra.

-Meu amigo Jesus o seu amigo São Francisco deve estar ai no céu te comunicando que foi ele que fez o Presépio. Uma representação cênica do Seu nascimento, unindo a vida através dos animais e o universo com a estrela guia.

Natal é isso: uma lembrança que somos filhos de Deus e não de um mundo que nos rejeita quando somos pobres como Jesus foi quando nasceu.

Feliz 2009, amigo...